terça-feira, 17 de outubro de 2006

O Ramadão

O Ramadão
O mês sagrado do Ramadão é celebrado no nono mês do calendário islâmico ou hegírico. É um calendário lunar, composto por 12 meses de 29 ou 30 dias, com um total de cerca de 354 dias. A contagem do tempo neste calendário começa com a Hégira ou a fuga de Maomé de Meca para Medina em 16 de Julho de 622. O mês começa quando o crescente lunar aparece pela primeira vez após o pôr-do-sol. Tem cerca de 11 dias a menos que o calendário solar, e os meses islâmicos retrocedem todos os anos, o que faz com que os feriados muçulmanos circulem por todas as estações do ano.
No nono mês, o mês sagrado do Ramadão (Ramazan), que este ano começou no dia 24 de Setembro, os muçulmanos fazem um jejum (oruç) de 30 dias (às vezes 29 dias, se o crescente lunar aparecer mais cedo).
Segundo o Alcorão, o oruç é um dos cinco pilares (deveres) do Islão e é obrigatório para grande parte dos muçulmanos, com excepção dos dementes, doentes, quem estiver em viagem, mulheres durante a menstruação, grávidas ou mães que estejam a amamentar. Estas pessoas podem completar o número estabelecido de dias de jejum em outros dias do ano. Quem não puder praticar o jejum deverá doar alimentos a uma pessoa carenciada.
Jejuar significa parar de comer e beber desde o amanhecer até ao pôr-do-sol. Para além da não ingestão de qualquer líquido ou alimento, também não se deverá fumar ou ter relações sexuais durante esse período.
Está disponível no mercado uma espécie de pastilha que parece manter o organismo "alimentado" durante o período do jejum. Peritos turcos em Teologia, não se opõem à sua utilização.
O sahur é a refeição das primeiras horas da manhã ou a refeição do pré-jejum. É a refeição ingerida antes do sol nascer.

O Ramadão
Os Ramazan davulcusu (tocadores de tambor do Ramadão), andam pelas ruas com grandes tambores a acordar os fiéis para o sahur. Tocam uma variedade de ritmos, e às vezes também cantam a mani, um tipo de canção com rimas. Tentam manter uma tradição antiga do tempo em que não existiam despertadores, embora causem alguns protestos devido ao barulho e consequente perturbação daqueles que querem dormir.
Também para avisar o início do sahur e do iftar, ouve-se o som de canhões em alguns pontos.
Antes e durante o bayram (o festival logo após o Ramadão), os tocadores de tambor de cada região batem à porta para pedirem dinheiro.
O jejum é quebrado todos os dias com uma refeição conhecida como iftar, que tem lugar logo após o pôr-do-sol, ao mesmo tempo da “chamada para a oração do anoitecer”.

O Ramadão
Antes da hora do iftar vêem-se muitas ramazan pidesi (um pão delicioso típico do Ramadão) quentes à venda. Próximo da hora do iftar, o movimento aumenta em direcção a casa e também nos restaurantes, onde existem filas de pessoas e menus específicos para o iftar. É comum verem-se pessoas sentadas nas mesas dos restaurantes à espera de ouvirem a “chamada para a oração do anoitecer” que também anuncia o fim do jejum e o início do iftar. Também existem tendas montadas nas ruas pelas câmaras municipais, onde é servido gratuitamente o iftar às pessoas mais necessitadas, e onde as filas se começam a formar algum tempo antes do pôr-do-sol.

O Ramadão
O iftar começa normalmente com tâmaras, bebidas doces, alimentos típicos do pequeno-almoço turco (queijo, azeitonas, pão, tomate, pepino...) e sopa, seguidos do jantar tradicional.
Os convites para o iftar são muito comuns durante o Ramadão, podendo surgir convites para um iftar de familiares, amigos e vizinhos.
Em alguns locais, especialmente centros comerciais e ruas e praças centrais, são organizados pequenos espectáculos com música ao vivo e teatros que as crianças adoram. O mais típico é aquele com duas personagens famosas: Karagöz e Hacivat.



O Ramadão


São duas personagens ficcionais do teatro turco de sombras. Hacivat representa a classe letrada, fala Turco otomano e usa linguagem poética e literária. Em oposição, o seu amigo Karagöz representa o público iletrado mas sincero. O tema central baseia-se na interacção de ambos.




Quando o Ramadão acontece nos meses de Inverno, quando as noites são mais longas, o intervalo entre as duas refeições (sahur e iftar) é de dez a 11 horas. Durante os meses de Verão, o tempo de jejum torna-se mais longo, sendo cerca de 17 a 18 horas em Junho e Julho. Este ano é de cerca de 14 horas.
Durante o Ramadão, a oração da noite (yatsı namazı) é seguida de uma namaz (oração) especial chamada teravih. É um tipo de culto ritual que só acontece nas noites do Ramadão. Os muçulmanos tentam ir a diferentes mesquitas para completarem a oração teravih.
O Ramadão é considerado sagrado, porque o Alcorão foi revelado ao profeta Maomé durante este mês. Para além de colocar os muçulmanos frente a frente com as realidades duras da vida, tais como o sofrimento provocado pela fome, sede e privações, o Ramadão é um período de treino anual que inculca disciplina e declaração de subserviência às leis de Deus, enumeradas no Alcorão. Contudo, é durante o Ramadão que mais excessos alimentares são cometidos.
Um muçulmano deverá praticar sadaka (caridade) e fitre (esmolas dadas no Ramadão) durante o Ramadão. O Alcorão também é recitado intensamente durante este período.
Os últimos dez dias do Ramadão são mais importantes, uma vez que os fiéis cumprem a Kadir Gecesi (a Noite do Poder), durante a qual a revelação do livro ao profeta foi completada. Por um lado, é considerado o clímax do Ramadão e os muçulmanos ficam toda a noite acordados a rezar ou a ouvir sermões do imame (líder religioso). O rigor do jejum termina com a celebração do Şeker Bayramı (Festival do Açúcar) ou Ramazan Bayramı (Festival do Ramadão) que é festejado durante três dias. Este ano acontece entre 23 e 25 de Outubro.

1 comentário:

Brikebrok disse...

Eu acordo todos os dias de madrugada com os cantos (gritos) do muezzin ...
E tu és muçulmana praticante ?