terça-feira, 24 de julho de 2007

Férias

Este blogue tem estado de férias e assim vai continuar até ao dia 12 de Agosto. Até breve!

domingo, 8 de julho de 2007

Danças tradicionais turcas na Feira de Arte, Artesanato, Agricultura e Recreio de Moncarapacho


A Feira de Arte, Artesanato, Agricultura e Recreio de Moncarapacho, no interior do concelho de Olhão, é organizada pelo Lusitano Ginásio Clube Moncarapachense, em parceria com a Fesnima, Empresa Pública de Animação de Olhão, e vai decorrer de 12 a 15 de Julho.
No primeiro dia da feira, a animação musical estará a cargo dos grupos Comodoro Rivadavia (Argentina) e Rastolhice, enquanto o encerramento será assinalado com o 22º Festival Internacional de Folclore de Moncarapacho, no qual estarão presentes os grupos Selenga, da República da Buryatia (Rússia), Academia de Dança de Antakya (Turquia), Wolbromiacy (Polónia), Grupo de Danças e Cantares Pioneiros de Vendas Novas e Rancho Folclórico de Moncarapacho.
O certame inclui a 8ª Mostra Gastronómica de Tasquinhas Regionais, com petiscos do Algarve, Alentejo e Serra da Estrela, um desfile etnográfico nas ruas da cidade de Olhão e provas de produtos da zona.
A Feira de Arte, Artesanato, Agricultura e Recreio de Moncarapacho conta com cerca de 200 expositores nas mais diversas áreas de actividade, oferecendo aos visitantes uma mostra de artesanato de qualidade, muito do qual produzido ao vivo no local: talha, barro, vidro, ferro forjado, couro e empreita, por exemplo.
No dia da abertura, 12 de Julho, terá lugar, às 19h15, uma sessão fotográfica e de autógrafos com Juan Barnabé e a águia “Vitória”, que normalmente abrilhanta os jogos do Benfica disputados no Estádio da Luz.

(Fonte: Agenda Alla Turca / Correio da Manhã)

sábado, 7 de julho de 2007

Compositora turca Özge Gülbey vai estar presente no 6º Encontro Nova Geração de Compositores do Mediterrâneo

De 30 de Julho a 2 de Agosto na Sala Estoril do Hotel Estoril Éden.

Compositores participantes: Özge Gülbey (Turquia), Bushra El-Turk (Líbano),
Christian Lauba (França), Matteo Franceschini (Itália), João Godinho (Portugal).

sexta-feira, 6 de julho de 2007

Teatro de sombras da Turquia em Serpa


Além de um "show transformista", previsto para o dia 12, as 16 noites do festival, que "celebra a cultura como uma festa" pelo oitavo ano consecutivo, incluem oito concertos, seis peças de teatro, um "show-comedy" de "novo circo" e uma residência artística de dança, para transformar, até 28 de Julho, o Espaço da Nora num "caldeirão cultural".
Entre a banda sonora do festival, Marco Ferreira destacou o espectáculo de abertura, sexta-feira, às 22:30, com a música cigana dos espanhóis Ciganos d´Ouro acompanhada pelo "ondular dos corpos" da bailarina Myriam Szabo e do grupo de dança "Salamantras".
Este ano, frisou Marco Ferreira, o festival "aposta em recentes criações nacionais e internacionais, que aliam tradições populares e novas perspectivas artísticas".
Como exemplo, Marco Ferreira destacou ainda o concerto, dia 27, dos Deolinda, um projecto lisboeta de música popular original portuguesa inspirada nas origens tradicionais do fado.
Seguem-se as "guitarras desajeitadas" dos portugueses Dead Combo (dia 14), o "bluegrass" (música tradicional do sul dos Estados Unidos da América) dos lisboetas The Campesinos (dia 21) e as músicas tradicionais europeias dos Mosca Tosca (dia 28).
As "Vozes do Imaginário" (Sábado), um grupo feminino com um reportório composto por polifonias do Minho, modas alentejanas e canções de romaria das Beiras, e José Cid ao piano (dia 20), são as restantes ofertas musicais do festival.
Leo Cartouche, o alter-ego do "performer" francês Jens Altheimer, um dos pioneiros do "novo circo" em Portugal, vai "provocar" o público, dia 15, no espectáculo interactivo "Na Cara", que mistura improvisações do teatro de comédia com malabarismos e acrobacias.
Entre as seis peças de teatro programadas, destaca-se, dia 25, a estreia de "Smooth Cabaret", o novo espectáculo da Baal 17, que, de acordo com Marco Ferreira, "vai desmistificar, de uma forma mordaz, a ideia feita de que os alentejanos são preguiçosos".
Destaque também para um espectáculo de marionetas (dia 26), pelas "mãos" e vozes de actores especialistas na técnica de manipulação do teatro de sombras tradicional da Turquia.
O espectáculo "Serpa Serpente", que resultou de uma residência artística da coreógrafa Vanda Melo, que explora uma fusão de dança, expressão e canto inspirada na imagem da mulher nas lendas da cidade alentejana, é o destaque na área da dança (dia 22).
Uma oficina de danças tradicionais por Matias (dia 28) e outra de dança gypsy duende, criada pela bailarina Myriam Szabo e que consiste numa fusão entre a dança oriental e improvisações suscitadas por músicas gypsy techno, este fim-de-semana, são outras das propostas do festival.

(Fonte: Agenda Alla Turca / Diário Digital)

quarta-feira, 4 de julho de 2007

O jovem cantor e actor Barış Akarsu faleceu esta noite

O jovem cantor e também actor, sofreu um acidente de automóvel no passado Sábado, dia em que completou 28 anos. Esteve em coma desde esse dia.



Artista plástico Etona vai participar no Congresso Internacional de Estética em Ancara


O artista plástico angolano Tomás Ana "Etona" vai participar no Congresso Internacional de Estética, a decorrer de 9 a 13 deste mês, em Ancara, na Turquia.
Etona vai apresentar duas obras de pintura e uma de escultura e vai fazer uma dissertação sobre o seu estilo artístico: o "Etonismo".
Este evento, organizado por uma universidade de Ancara, vai integrar outras disciplinas no domínio da arte e ciência e tem como lema "Propostas para o desenvolvimento das nações".
Natural da província do Zaire, Etona começou a desenvolver a sua actividade artística na década de 70, tendo feito posteriormente o curso médio de Artes Plásticas no Instituto Nacional de Formação Artística e Cultural. Fez também especialização em escultura monumental, em 1996, em Portugal, e é autor de várias exposições individuais e colectivas no seu país e no estrangeiro. Já foi secretário-geral da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP). Em 2005, foi condecorado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, com a Medalha da Ordem de Mérito Civil do 1º Grau.

(Fonte: Agenda Alla Turca / Angola Press)

terça-feira, 3 de julho de 2007

Música Sufi da Turquia no Festival Évora Clássica


Mais de 50 artistas, oriundos da Turquia, Mali, Rajastão, Sérvia, Irão, Touva e Egipto, participam no 13º Festival Évora Clássica, certame que arranca hoje e vai fazer ecoar, em pleno Alentejo, a música do longínquo Oriente.
A iniciativa, que começa durante a tarde e se prolonga até sábado, é organizada pela Casa Cadaval e traz a Évora, cidade classificada Património Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), o "exotismo" do Oriente.
O programa desta 13ª edição é preenchido com um total de 13 concertos, repartidos por três locais emblemáticos da cidade: o Jardim do Paço, dentro do Palácio Cadaval, o Teatro Garcia de Resende e a Igreja dos Lóios.
A organização promete "cinco dias e noites mágicas" dedicadas às músicas do mundo, sobretudo aos sons orientais.
Um café egípcio, animado pelos Músicos do Nilo e com a dança circular Soufie Tanoura, que representa o universo e o sol, toma conta do Jardim do Paço, diariamente, entre as 16:00 e as 22:00.
Nestes dois primeiros dias do certame, às 18:30, o Palácio Cadaval é "invadido" pela magia do Kathputli, pequeno teatro de marionetas através do qual a casta dos Bhats é muito reconhecida no Rajastão, na Índia.
Já os cantos litúrgicos da Sérvia, interpretados por Divna Ljubojevic, sobem hoje à noite, às 21:30, ao palco do Garcia de Resende.
"Desde as mais antigas peças bizantinas, sérvias, búlgaras e russas, até peças contemporâneas, Divna empenha-se em recriar um estilo de interpretação que se extinguiu no século XIX, com a chegada dos cânticos russos às igrejas de Belgrado", realça a organização.
O festival apresenta também, na quarta e quinta-feira, na Igreja dos Lóios, dois espectáculos dedicados à tradição musical sufi, o primeiro com os sopros sufis, da Turquia, e o segundo com o canto sufi, do Irão.
Uma Festa do Deserto do Rajastão, em que estarão em foco os cantos Manghaniyar, uma das castas de músicos mais espantosos daquela região indiana e do deserto de Thar, é a proposta para a noite de quarta-feira, no Jardim do Paço.
Na noite seguinte, no mesmo local, o público do Évora Clássica é convidado para uma Noite Egípcia, subordinada ao tema "Nómadas do Mar Vermelho no Canto Sufi do Nilo", em que actuarão Hussein Al Bechari e Sheikh Taha e o seu conjunto.
De Touva, junto à fronteira com a Mongólia, chegam à cidade alentejana, na sexta-feira, os cantos khoomeï, trazidos pelo grupo Ezir, criado especialmente para o festival.
Composto por quatro artistas solistas, o grupo interpreta diferentes estilos daquele canto gutural, que reflecte e faz ecoar os elementos naturais, desde o barulho dos animais, às nascentes e ribeiros, aos ventos das estepes, às rochas das montanhas ou ao sussurro da folhagem.
No dia seguinte, os Tinariwen, heróis da rebelião "touareg" do início dos anos 90 contra o poder do Mali, apresentam as suas músicas, em que cruzam os sons dos blues e do rock com letras de luta e de esperança.
A última jornada do certame, é preenchida pele café egípcio e por um último espectáculo dos Músicos do Nilo.

(Fonte: Agenda Alla Turca / Diário Digital)