sábado, 25 de agosto de 2007

Meerschaum: A Pedra de Eskişehir


O meerschaum ou sepiolite, é um mineral silicato hidratado de magnésio do grupo das argilas.
É detectado a uma profundidade que pode atingir os 380 metros, na cidade de Eskişehir, localizada na Anatólia central.
O nome original desta pedra em Turco era deniz köpüğü, e foi traduzida em diferentes línguas com o mesmo significado: espuma do mar. A tradução alemã, meerschaum, foi a adoptada universalmente, sendo conhecida em todo o mundo com esse nome. Na Turquia é também conhecida como lületaşı.
Vários cristais irregulares formam uma estrutura esponjosa microscópica. É também mole e húmida devido à água que faz parte da sua composição, o que permite que seja facilmente trabalhada. Através de um processo de secagem, torna-se mais clara e resistente e com elevado poder de absorção de líquidos e gases. Seca sem encolher e volta a adquirir a sua textura mole quando é imersa em água.
De acordo com escavações levadas a cabo na região, foi provado que o meerschaum ou pedras similares, já eram conhecidas e trabalhadas há 5000 anos, durante a Idade do Bronze.
A referência mais antiga ao meerschaum em documentos escritos foi encontrada num livro de viagens escrito no século XII por um viajante árabe que visitou Eskişehir em 1173. Menciona as águas termais e a pedra meerschaum, não dando contudo nenhuma informação sobre o tipo de utilização do mineral.
Após a difusão do consumo de tabaco e a consequente utilização de cachimbos, foi descoberta esta pedra como sendo a mais perfeita para a produção dos mesmos, pela sua leveza e pela facilidade de trabalho que oferecia. Os primeiros a tentarem fabricar cachimbos com este material tiveram tal sucesso que abriram lojas em diferentes cidades europeias, principalmente em Viena.

Cachimbos de Meerschaum

Pensa-se que o hábito de fumar se difundiu na sociedade otomana a partir de 1600. A utilização da pedra de Eskişehir na produção de cachimbos começou no mesmo período. Nessa altura, os cachimbos de barro foram substituídos pelos de meerschaum. Devido à imensa procura, a pedra meerschaum começou a ser exportada.
Várias pesquisas demonstram que o meerschaum foi também uma matéria-prima valiosa para a produção de cerâmica, papel e tinta.
Foram escavadas milhares de minas nas imediações de Eskişehir, em Nemli Yakaboyu e Karatepe, para responder à intensa procura estrangeira desde o século XVIII. Mais de 10 000 trabalhadores foram trazidos de outras cidades para o trabalho ardúo que representavam as minas de meerschaum, onde não existia nenhum equipamento mecânico. Este fluxo populacional levou ao estabelecimeto de núcleos habitacionais junto às minas, do tamanho de pequenas cidades. As oficinas, construídas no centro da cidade, eram os locais onde o meerschaum era preparado para ser exportado. Esse trabalho consistia na limpeza da superfície da pedra mediante a retirada de uma camada superficial e no posterior polimento da mesma.
Com a legislação relativa ao meerschaum completada nos anos 70 do século XX, foi proibida a sua exportação como matéria-prima.
Actualmente, os processos de exploração mineira do meerschaum são distintos, existindo maquinaria eléctrica especializada, assim como outros equipamentos.
O fabrico professional de cachimbos de meerschaum começou depois da fundação da República turca, em 1923. Ali Osman Denizköpüğü, que Atatürk conheceu, abriu uma oficina no centro da cidade de Eskişehir, participou em feiras nacionais e internacionais e deu formação a muitos outros artesãos de cachimbos de meerschaum. Para além dos cachimbos, o meerschaum também era utilizado no fabrico de jóias, como colares, brincos e pulseiras. Actualmente há uma diversidade grande de artigos fabricados com esse material.


Colares, brincos e pulseiras

A pedra meerschaum constituiu uma fonte de riqueza extraordinária para Eskişehir durante o século XIX, mas o comércio de meerschaum baseado na produção de cachimbos teve a sua idade de ouro no século XX. Muitos produtores de cachimbos europeus e americanos competiam uns com os outros para cooperarem com os produtores de cachimbos de Eskişehir. Contudo, os conflitos políticos e económicos das últimas duas décadas do século XX diminuiram a popularidade do meerschaum.
Este mineral tem inúmeras qualidades, de entre as quais o facto de poder ser esculpido muito facilmente. Esse facto obriga a uma grande destreza e perfeição por parte do artesão, que também pode inutilizar uma peça com um erro mínimo.

Fatih Köksal e Ali Dülger: artesãos de meerschaum

Em Odunpazarı, uma freguesia de Eskişekir localizada não muito longe do centro da cidade, podem ver-se belas casas otomanas recentemente recuperadas pela Câmara municipal. Aí, encontrei uma loja (Fatih Lületaşı) localizada no interior de um antigo "centro comercial" otomano, que, entre outras coisas, vende peças extraordinárias feitas a partir de meerschaum. A loja funciona também como o atelier daqueles que, segundo os próprios, são os mais jovens artífices de meerschaum: Fatih Köksal e Ali Dülger. A par dos cachimbos, que são definitivamente as peças que chamam mais a atenção pelo grau de depuração do trabalho e pela sua beleza, produzem também outras peças, nomeadamente joalharia e outras peças decorativas.

Duas fases distintas de trabalho de uma peça

Todas as peças que servem de ilustração a este artigo são da autoria de Fatih Köksal e Ali Dülger.

Sem comentários: